sábado, 28 de agosto de 2010

Jeanine Pires Deixa Embratur

A presidente da Embratur, Jeanine Pires, deixa o cargo no começo de setembro (ainda sem data definida), depois de quase oito anos no instituto, primeiro como diretora de Eduardo Sanovicz e posteriormente na liderança. Ela inaugurou o novo modelo de atuação da Embratur, que, com a criação do Ministério do Turismo, passou a se dedicar à promoção e apoio à comercialização do Brasil no Exterior.

Há alguns meses, o ministro do Esporte, Orlando Silva, convidou Jeanine para integrar a estrutura da Olimpíada de 2016, que será no Rio de Janeiro. Ela iria sair do cargo em dezembro, mas devido aos compromissos assinados na candidatura olímpica, já há vários processos que precisam ser tocados imediatamente.

DUAS ESTRUTURAS
Jeanine vai participar da criação de duas estruturas. A primeira, a Autoridade Pública Olímpica, que deve ser aprovada pelo Legislativo das instâncias municipal, estadual e federal, da qual participam o município do Rio, o Estado, o governo federal e o Comitê Olímpico Brasileiro (COB). A Autoridade cuida de todos os setores envolvidos na Olimpíada, da segurança público ao antidopings, da comunicação internacional à infraestrutura para os jogos.

A segunda estrutura a ser criada é a da empresa pública Brasil 2016, da qual Jeanine deverá ser diretora (mas tudo ainda precisa ser votado e decidido), que é vinculada ao Ministério do Esporte e à Autoridade Olímpica e que cuida do projeto Rio 2016 e do legado para a cidade e o País.
O desafio e o orgulho de participar de projeto e momentos tão importantes para o País foram decisivos para que Jeanine aceitasse a oferta. "Eu já iria sair no fim do ano, até porque haverá mudança de governo. O Ministério do Turismo e a nova Embratur são uma conquista do governo Lula e do turismo brasileiro e saio com a sensação de dever cumprido e com muito orgulho", disse ela ao Jornal PANROTAS.

BALANÇO
"De 2003 para cá, demos um grande salto e preparamos o terreno para isso que vemos hoje, o Brasil está na moda. Mas lá atrás iniciamos o trabalho de RP, hoje sabemos como o País é visto em cada País, temos credibilidade. Isso é uma vitória do turismo brasileiro. Do País, que conquistou esses dois grandes eventos, que é respeitado em todo o mundo. Uma vitória também do empresariado brasileiro, que aderiu à nossa agenda internacional de mais de 400 eventos, dos Estados, que melhoraram suas estruturas, e de nossa equipe, que tem e sempre teve diretores altamente capazes em suas áreas

O RIO
Sobre trabalhar pelo Rio e por um evento que trará visibilidade a todo o País, Jeanine Pires se diz muito feliz e confiante. "O Rio sempre foi um destino estrela nas campanhas da Embratur, o que foi definido pelo Plano Aquarela. Plano esse que é uma metodologia simples de como promover o Brasil lá fora. E faz parte desse plano usar o Rio como um dos âncoras do Brasil. O que as pessoas veem do Rio no mundo é muito mais positivo que negativo. Precisamos sim melhorar e continuar as políticas de segurança e aumentar a qualidade dos produtos turísticos. O Rio precisa dar um salto em produto e vejo mobilização do empresariado para isso. O desafio é do Rio, do Brasil e do continente. E estou muito contente em fazer parte dele, depois dessa passagem importante e rica pela nova Embratur". 

Em seu lugar assume Mário Moysés, que acumulará com a Secretaria Execitiva o MTur.




Fonte: Panrotas

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Qual ministério venderá o turismo médico no Brasil?

Por que grandes hospitais não investem em cirurgias plásticas? Esta foi a pergunta que iniciou o primeiro debate do Medical Travel Meeting Brazil, que começou hoje e segue até sábado, no Grand Hyatt São Paulo. De acordo com o diretor presidente do Grupo Bumrungrad International, Curtis Schroeder, este é um grande mercado, mas que dá dores de cabeça se não for bem executado. 


Além disso, o moderador Ruben Toral, da Mednet Ásia, questionou qual mercado o turismo médico do Brasil deseja atingir. O doutor David Uip não respondeu de fato quais praças seriam interessantes, mas utilizou do seu case de sucesso em Angola para ressaltar que o destino africano gasta US$ 26 milhões por ano neste mercado. “Falta divulgação deste segmento do turismo, e os médicos brasileiros não se expõem. Porém, independente do que for traçado como meta , o Brasil tem grandes chances”, disse o executivo.

Ruben Toral questionou também sobre possíveis investimentos para um mercado que ainda engatinha no Brasil, e como eles deverão ser feitos. Quem respondeu foi Enrico de Vettori, da Deloitte Solutions. “Grandes empreendedores conseguem superar estas necessidades, mesmo sem uma resposta objetiva para seu investimento. O Brasil tem o potencial e este pode ser um diferencial”, opinou. 

Uma dúvida ainda pairava no ar sobre a questão da divulgação do turismo médico. Quem vai vender o segmento: Ministério do Turismo ou Ministério da Saúde? Os presentes concordaram que o MTur deve ser o responsável. “Eu li o plano de governo do [José Gomes] Temporão, ministro da Saúde. Nele tinham projetos voltados para o turismo médico, mas nada foi feito”, revelou o doutor David Uip. 

Além deles, o executivo Joe Wood Man, da Patient Beyond Borders, também participou do debate.

FONTE: http://www.panrotas.com.br

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Turistas estrangeiros deixam US$ 438 milhões no Brasil em julho


Os turistas estrangeiros deixaram no Brasil US$ 438 milhões em julho, de acordo com os dados divulgados nesta segunda-feira (23) pelo Banco Central (BC). O resultado é 1,54% inferior ao mesmo mês do ano passado, quando ingressaram no País US$ 445 milhões. O acumulado de janeiro a julho deste ano soma US$ 3,378 bilhões em receitas, superando em 12,18% os sete meses do ano passado – melhor resultado para o período em toda a série histórica do BC, iniciada em 1947.
Comparando o acumulado de janeiro a julho de 2010 com o mesmo período de 2003 – quando a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) passou a cuidar exclusivamente da promoção turística do País no exterior –, o crescimento na entrada de divisas atinge 194,7%.
O cálculo do Banco Central inclui trocas cambiais oficiais e gastos com cartões de crédito internacionais.

Publicado em Plano Aquarela

Ministério do Turismo mudará data de prova por conta de 2º turno

O Ministério do Turismo (Mtur) vai alterar a data de aplicação das provas objetivas referentes ao concurso que oferece 112 vagas de níveis médio e superior. De acordo com o edital de abertura, os exames seriam aplicados na data provável de 31 de outubro; no entanto, há um impedimento já que no mesmo dia ocorrerá o possível segundo turno das eleições para governador e presidente.
A Fundação Universa, organizadora da seleção, afirmou ao CorreioWeb que vai lançar um edital de retificação com o novo cronograma na semana que vem. A assessoria de comunicação do Mtur também confirmou a alteração da data das provas e disse ainda que a equipe não havia se atentado à coincidência de datas. A equipe do Correioweb apurou a falha após a denúncia do leitor Wilney de Moraes, de 32 anos, comerciante.
De acordo com a assessoria de comunicação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), não há legislação que impeça a realização de seleções públicas em dia de votação. “Impedimento legal não há. Mas a data deveria ser alterada por uma questão de bom senso e logística, de modo que todos pudessem votar com tranquilidade”.
O TSE ainda alerta para o risco de haver um choque de agenda entre os locais de prova e os locais de votação. “A escola onde a prova for aplicada também pode ser uma zona eleitoral”, disse um assessor.


O concurso

Quem tem formação intermediária pode tentar o cargo de agente administrativo (99 vagas), que oferece remuneração de R$ 2.131,43. Graduados poderão entrar na disputa pelos postos de administrador (sete vagas), contador (quatro vagas) e engenheiro (duas vagas), com salários que variam de R$ 3.156,55 a R$ 4.834,22.
As inscrições podem ser feitas até o dia 27 de setembro, tanto virtual quando presencialmente. Pela internet, basta acessar o site da Fundação Universa. Quem não tem acesso à rede mundial de computadores pode se cadastrar central da organizadora, que fica na SGAN 609, módulo A, Asa Norte, Brasília (DF). A taxa variade R$ 35 a R$ 62.


Fonte: Correioweb

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Novidades em Barcelona: por dentro do Mandarin Oriental

por Adriana Setti em 12/04/2010 às 7:53
 
A espertíssima Mari Campos e eu já tínhamos comentado – e babado – sobre a abertura do primeiro hotel da rede Mandarin Oriental em Barcelona. Mas só agora fui conferir detalhe por detalhe para uma matéria que será publicada em breve na VT.

Recapitulando: o hotel fica no endereço mais elegante da cidade, tendo como vizinhas as casas Batlló e La Pedrera, as lojas mais chiques da cidade e outros hotéis de luxo, como o Casa Fuster.

Expectativas muito altas são um perigo. Mas, nesse caso, não teve erro. O lugar é mesmo um espetáculo: aconchegante, charmoso, original e impecável.
O recheio do hotel é obra da designer espanhola radicada em Milão Patrícia Urquiola. A escolha foi certeiríssima: o jeitão obrigatoriamente oriental característico da rede ganhou ares barcelônicos com cores claras, muita luz natural e linhas modernas e criativas.

As fotos abaixo são de divulgação. E, em breve na VT, você verá o hotel clicado por quem sabe, Marco Pomarico.
Logo de cara, meu ambiente favorito no hotel: a rampa de entrada, que leva ao lobby, atravessa um átrio luminoso com janelas retangulares em tamanhos e posições irrregulares que produzem um efeito futurista

Todos os corredores onde ficam os quartos dão para o átrio, o que faz com que a luz natural penetre por todos os “poros” do edifício.


Aqui, a entrada do lobby vista da metade da rampa (não é super original?)
O átrio visto de um dos andares: bacanérrimo
Banker's Bar: em homenagem ao passado bancário.

Como o hotel ocupa o edifício onde funcionava o banco Hispanoamericano, deu-se um jeito de fazer uma referência divertida à história de seus salões. No bar, uma parede ainda guarda algumas caixas-fortes originais. O teto é forrado com outras no mesmo estilo, com chavinha e tudo pendurada. O ambiente que exala cifrões é completo com um tapete com motivos escoceses, poltronas italianas bacanudas e uma iluminação com ares futuristas.
O restaurante Moments: assinado por Carme Ruscalleda e pilotado por seu filho Raül
Dourado não é exatamente a minha cor favorita. Mas o jogo entre o teto forrado com pan de oro e os desenhos do carpete deram um bom resultado, sim. O menu degustação custa 125 euros.
Piscina com vista para o Paseig de Gràcia: pequenina, mas com um dos melhores visuais de Barcelona. Como adiantou a Mari, o hotel também terá um jardim na parte de trás, aberto para o meio da quadra, como é característico nos edifícios do bairro modernista do Eixample. Dei um pulinho lá, mas o jardim só será inaugurado no fim do mês. E ainda precisa de um tapinha de paisagismo e decoração.
Piscina do spa: a la blade runner (o exterior é climatizado a 29 graus -- inspiração no verão de Hong Kong?)
Deluxe room, o quarto mais básico: luminoso, funcional e com vistas ao jardim ou ao Passeig de Gràcia.

Veja o post da Mari Campos sobre a abertura do hotel
Siga este blog no twitter: @drisetti

Curitiba Antiga...fotos

A dama de Vermelho...Dilma (Terrível)

Presidente Lula = Vergonha do Turismo no Brasil!

É galera, 

Mais uma vez nosso governo está queimando a cara do Turismo no Brasil. Dessa vez, foi nosso excelentíssimo presidente... Nem tem o que falar, sentem, peguem suas pipocas, e leiam as sandices do Lula....


Lula desconstrói campanha de turismo e destaca perigos do Brasil em 2014
Alexandre Sinato, Bruno Freitas e Mauricio Stycer
Em Johanesburgo (África do Sul)
"Num discurso de improviso, destinado a lançar uma campanha de promoção internacional do turismo no Brasil com vistas à Copa de 2014, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva reforçou uma imagem do país que o Ministério do Turismo não gostaria de ver enaltecida.
Lula alertou os estrangeiros sobre o risco de ser mordido por “uma sucuri destreinada”, disse que os brasileiros não sabem inglês mas são bons na arte de “mimicar”, garantiu que o país é tão bem servido de homens quanto de mulheres e lamentou que as pessoas vão ao cinema e na volta não encontram o carro, porque foi roubado.
A cerimônia com a presença do presidente ocorreu num espaço montado pelo governo, num centro de convenções, no coração de Johanesburgo. Lula passou um tempo folheando o discurso preparado para o evento. Mas deixou-o de lado e arrancou gargalhadas já ao mencionar as autoridades presentes. Chamou o prefeito Eduardo Paes, do Rio de Janeiro, de governador, corrigiu-se, mas acrescentou, rindo: “Mas um dia vai ser. Um dia vai ser”.
Lula elogiou a diversidade racial brasileira fazendo um contraponto com outros povos. “Quando você vê a Alemanha em campo, com exceção do brasileiro Cacau, você só vê alemão. Quando você vê o Japão, você só vê japonês. Quando você vê a Coreia do Norte e a Coreia do Sul, você só vê coreanos, com a diferença que uns riem mais que os outros. No jogo Itália e Servia, não tinha um único negro nem no banco de reservas”.
Curiosamente, o filme exibido pelo Ministério do Turismo, para ser lançado assim que acabar a final da Copa de 2010, mostra um Brasil quase inteiramente branco. Até ao mostrar o público na arquibancada do Maracanã, a publicidade dirigida por Fernando Meirelles exibe em primeiro plano uma mulher loira.
Lula elogiou a beleza do brasileiro. E observou: “Quando eu falo em beleza, vocês têm que compreender que para cada sapo tem uma sapa. Ninguém fica sem seu par”.
Em seguida, o presidente fez uma digressão sobre os motivos que impedem o brasileiro de ir ao cinema. Queria fazer um paralelo com a dificuldade de levar turistas estrangeiros ao Brasil. E disse: “O cidadão vai ao cinema e depois quando vai buscar o carro, roubaram”.
Ao falar das belezas naturais do país, Lula mencionou especialmente o Amazonas, o Pantanal e a Chapada Diamantina. “A floresta mais incrível do mundo, rios maravilhosos, mas tem que ser de maneira ordeira. Se sair da linha, uma sucuri destreinada vai pegar vocês”.
Lula arrancou aplausos ao criticar as companhias aéreas brasileiras, que não têm vôos diretos para a África. Disse que é uma questão de honra para ele, assumida diante do presidente da África do Sul, Jacob Zuma, que este quadro seja mudado. “Não é possível que o avião brasileiro passe sobre a África e não pare. Tem que parar. O africano que quer ir para o Brasil tem que pegar um avião para Paris. Se ele vai até Paris, por que vai para o Brasil depois?”
O presidente também divertiu o público ao falar que o turista que for para o Nordeste vai encontrar um povo muito acolhedor, mas que não sabe falar inglês. “Mas tem a grande capacidade de fazer mímica. É a capacidade de mimicar do povo brasileiro”. Dirigindo-se a Marco Aurélio Garcia, assessor especial par a assuntos internacionais, Lula perguntou: “Esse verbo existe?” E ouviu um não, mas o verbo existe segundo o dicionário Houaiss.
Lula encerrou o improviso lendo a última frase do discurso preparado para ser lido. “Eu ia ler meu discurso, mas não li. Então vou ler só a última frase. O Brasil está te chamando. Celebre a vida aqui”, disse, fazendo graça."


Fonte: http://copadomundo.uol.com.br/2010/ultimas-noticias/2010/07/09/lula-desconstroi-campanha-de-turismo-e-destaca-perigos-do-brasil.jhtm
09/07/2010 - 15h37


/----------------------------------------------------\
| Esta mensagem foi enviada através do Eureka. | Não remova este rodapé.
| Sala: Turismo (Noturno)
| Curso: PUCPR > Salas de Curso > Curitiba > Graduação
| Código da mensagem:(OCwyMTk3ODA3OA==)

Motéis pelo Brasilll!!!





Piscina simples mas bem limpinha, no 55° andar do hotel mais caro do mundo

Se você quer curtir um mergulho nessa piscina, você vai precisar gostar de altura... é no 55º  andar!

Mas, nadar na borda não é tão arriscado quanto parece. Enquanto a água da piscina “infinita” parece terminar emum despenhadeiro, na verdade ela escorre para uma espécie de canal, de onde é bombeada de volta para a
piscina principal. Tem três vezes o tamanho de uma piscina olímpica ( 150 metros de comprimento), é a maior piscina do mundo ao ar livre, nessas alturas.Foi feita no impressionante "Skypark", um espaço de lazer em forma de barco, empoleirado sobre as três torresque compõem o hotel mais caro do mundo, que custou a bagatela de 4 bilhões de libras esterlinas (quase inimaginável o número de zeros à direita em reais...), é o Marina Bay Sands, na cidade de Cingapura.

Confira

O Planejamento Turístico Municipal

O planejamento turístico aponta como uma ferramenta indispensável para o manejo da atividade. Pois é com medidas racionais e previstas que se trabalha em harmonia – relativa – com o meio, de modo a preservar o turismo do próprio turismo e para o turismo. Pois sem o planejamento, corre-se o risco de o crescimento desordenado da atividade turística atentar contra a atratividade dos recursos e das localidades, que por sua vez figuram como a matéria prima do turismo.
 

Por Poliana  Fabíula Cardozo*

*Mestra em Planejamento Turístico 
Universidade Estadual do Centro-Oeste (Paraná)
Departamento de Turismo - Campus Irati

Adventure Sports Fair

Estamos organizando um grupo de viagem para a participação na Adventure Sports Fair (www.adventurefair.com.br) que é o evento mais importante da América Latina dedicado aos Esportes e ao Turismo de Aventura.
Com 12 anos de sucesso, a Adventure Sports Fair se fortalece a cada nova edição, reunindo as principais marcas e destinos do mercado nacional e internacional, as agências governamentais e as mais atuantes ONGs do setor.

Na Adventure Sports Fair o público pode:
» Analisar novos destinos de aventura nacionais e internacionais;
» Testar produtos e equipamentos esportivos;
» Se divertir com atrações esportivas e interativas;
» Ampliar sua rede de contatos e fechar acordos e parcerias;
» Coletar informações sobre o setor.

O Pacote para o grupo está programado saindo de Curitiba/PR na sexta-feira (24/09 - 23h00), participação na feira no Sábado (25/09) e retorno Domingo (26/09 - 16h00).


O PACOTE INCLUI:
- Transporte em ônibus executivo - Curitiba/SP/Curitiba;
- 2 dias e 1 noite de Hospedagem em Hotel próximo da Av. Paulista - Centro financeiro de São Paulo com café da manhã;
- Entrada na Adventure Sports Fair;
- Entrada ao Museu do Futebol - Estádio do Pacaembu;
- City tour em São Paulo - sujeito as condições climáticas;
- Passeio Parque Ibirapuera - sujeito as condições climáticas;
- Seguro Viagem;


INVESTIMENTO e CONDIÇÕES DE PAGAMENTO:

R$ 260,00 por pessoa à Vista ou até 2x em dinheiro, sem juros para aquisição do pacote até dia 20 Agosto 2010.
Após esta data, 2x R$ 135,00 sendo a primeira na aquisição e a segunda parcela com vencimento em 10 Setembro.


ORGANIZAÇÃO DO GRUPO, VENDAS e INFORMAÇÕES:
OXXI TURISMO
41 3045-5745
41 8421-1608
oxxiturismo@yahoo.com.br

Por que sabotam a regulamentação da profissão de Turismólogo?

"Quem tem medo desse profissional?"

Caros turismólogos será que somos descartáveis, insignificantes enquanto força de trabalho, não possuímos nenhuma representação política e qual a razão de professores fazerem campanha contra nossa representação sindical, afinal quem somos e a quem incomodamos dentro do trade turístico? Tenho a convicção que não nos enquadramos em nada disso, mas quem nos rejeita? O mercado, a incompetência profissional, os curiosos do turismo, a recessão econômica ou quem sabe a falta da disciplina "salvadora" de todos os cursos; o milagre do empreendedorismo que caminha em conjunto com as palestras de auto-ajuda lideradas pelo místico da literatura Paulo Coelho. Obviamente essas indagações não podem ser respondidas como definitivas, pois de tudo há um pouco, como em qualquer outra atividade profissional, pois o mercado está crivado desses ensinamentos decorrentes da lógica neoliberal.
Os nossos inimigos estão presentes no interior da própria lógica capitalista ditada pela atual vertente econômica do neoliberalismo, a qual não admite que qualquer força de trabalho atue de forma sindicalizada, implantando a lógica da desagregação ou da desregulamentação, não percebendo que a questão política está presente no cotidiano acadêmico e prático da ação do turismólogo. E que nossa presença no território nacional em termos quantitativo e teórico está aumentando e ganhando terreno no campo da produção cientifica.
Somos mais de 546 cursos de turismo no Brasil, lutando no mercado de trabalho para exercer uma profissão que segundo economistas e cientistas políticos e a atividade de trabalho mais promissora para os próximos 10 anos. Considerados os novos elementos dinamizadores para tirar os países capitalismo da linha de recessão e esgotamento da qual ele padece.
O turismo abre a perspectiva de ser o tônico que dará ao Capital seu saudoso desempenho de criação da riqueza, bem como, demonstra que o mesmo permanece com o entendimento que sempre o caracterizou, como produtor de divisas. Essa visão reducionista, simplista e linear de entender o mundo é própria dos arautos do capital, traduzindo-se no discurso dos ventrículos que mandam no turismo e continuam a desenvolver a política continuísta do turismo de décadas passadas.   
Será que nossos inimigos são produtos do imaginário, ou de perseguições reais? . Há um lobby que permanece premente nesse setor do culto às dinastias do comando turístico nacional. Entra governo, sai governo o turismo apresenta a mesma lógica, nada muda, existe uma adoração às políticas formulada por curiosos que permaneceram por décadas nas estruturas de poder.
Existe um poder paralelo que está articulado junto aos órgãos de poder do turismo que desenvolvem uma política elitista e de exclusão, apesar de estarmos num governo sindicalista e de participação popular que infelizmente não possui tradição e militantes nesse campo, bem como, entende o turismo como uma política secundária.
Contra quem devemos lutar? Entendemos que com ninguém que esteja ocupando os cargos máximos do turismo, pois independente de quem esteja como Ministro do turismo e de presidente da Embratur, todos querem acertar, mas não podemos nos esquivar de mostrar os erros e os equívocos da ação dos mesmos em algumas medidas.

A quem nos referimos

1. A toda estrutura administrativa e política que foi montada para organizar o turismo desde 1966 com a criação da Embratur, que a princípio surgiu em virtude da necessidade de vender e montar uma imagem de Brasil no exterior e não somente para organizar o turismo nacional. Na base dessa lógica está a necessidade de combater a idéia de ditadura militar instalada em 1964, pois “o regime militar e sua radicalização comprometeram a imagem do país no exterior, subtraindo credibilidade à sua ação" (Luiz Cervo, Amado. História da Política exterior do Brasil. 1992 pg.336). Assim nada mais vantajoso para o estado militar criar um órgão como a Embratur para cuidar da imagem do país no exterior que por sinal acabou divulgando a idéia de país erótico, exótico, carnavalesco e onde o prazer da companhia feminina que habita à hospitalidade brasileira vai além do bem receber.
A idéia inicial era de mostrar um país da paz, harmonia, católico, multiracial, onde se localizava o paraíso das liberdades democráticas garantidas pelo combate eficaz contra o perigo comunista.
Portanto, a Embratur nasceu de forma abortiva e sempre foi comandada por políticos de carreira, que erraram muito mais do que acertaram, apesar de ter desenvolvido um aparato de normativas e regulamentos que deram ao país certa funcionalidade organizacional ao turismo.
A Embratur sempre foi reticente ao nosso projeto de regulamentação profissional, entra presidente sai presidente o discurso permanece o mesmo, adquire adjetivos novos e tonalidades muitas vezes populistas, porém, sempre finaliza por não nos apoiar em nossa luta sindical.
2. Há estudiosos do turismo que entendem o fenômeno turístico como descolado das questões políticas maiores, como se o turismólogo fosse uma simples força de trabalho submissa às leis do Capital. Não o enxergam como uma categoria politizada e preocupada com seus deveres profissionais.
3. Aos neoliberais de plantão que insistem em se travestir de guardiões do Estado, protegendo seu equilíbrio e cultuando o processo de despolitização por meio do processo de inculcação contra a regulamentação em nossos alunos.
4. Há aqueles que insistem em afirmar que a regulamentação irá restringir o campo de trabalho do bacharel em turismo, pois entende, o fenômeno turístico como algo acidental e impossível de ser delimitado.
5. Aos que temem nossa organização política em volta de um sindicato forte e não patronal.
6. Os que nos chamam de radicais e até de comunistas, quando observamos que deveria haver uma sindicância na Embratur para apurar quais estados foram mais beneficiados com as verbas desse órgão, nos governos anteriores.
7. Os voluntaristas e políticos que estão envolvidos com o PNMT que apoiaram esse programa sem saber o crime que estavam cometendo junto às populações folk.
8. A disputa política para preencher os cargos das representações dos escritórios da Embratur no exterior, vale tudo desde a existência de capachos profissionais até os velhos e persistentes coronéis da política nacional fazendo lobby.
9. Os que fazem uma leitura linear e funcional do fenômeno turístico enquadrando seu entendimento no campo do econômico.
10. Aos "chicagos boys" como certamente diria Darcy Ribeiro que invadiram setores da política nacional e tentam imprimir ao turismo a lógica de que devemos vender o Brasil para que aumente o fluxo do turismo estrangeiro, bem como, criar e aprimorar uma infra-estrutura ao gosto deles.

O que devemos fazer?

Em primeiro lugar, entender que o sistema capitalista se alimenta em decorrência do processo de movimentação das classes sociais, requerendo que a força de trabalho a qual nos referimos, bacharéis de turismo (turismólogo) possam ter poder de barganha no jogo político e que estejam integrados em volta de seu sindicato. Portanto urge a necessidade da regulamentação da profissão.
Em segundo lugar, entender que o processo político não esta descolado do mundo da educação na luta para a formação de um indivíduo crítico, defensor de seus direitos e consciente de sua existência social. O que nos obriga entender a educação como um processo que só é completo quando atua e participa com ações extra-classe, combinando o cotidiano à sua formação integral.
Em terceiro lugar, temos o direito de lutar pela organização política de nossa categoria e para isso a etapa inicial é exigir com todas nossas forças a regulamentação profissional. Fomos vítimas de categorias profissionais que nos quiseram paternalizar em razão do imposto sindical.
Em quarto lugar, entendemos que só por meio de uma organização política sindical forte poderemos ser respeitados e ouvidos perante o trade turístico, deixemos de lado as visões ingênuas de roupagem liberal, que o sistema acaba alimentando.
Em quinto lugar, devemos fazer uma corrente com nossos pares para que em todos os eventos de turismo que ocorrerem em nossas faculdades ou universidades o assunto regulamentação será abordado, convidando pessoas para um debate sobre esse assunto.
Em sexto lugar, exigir que o Ministro do Turismo e principalmente o presidente da Embratur se posicionem publicamente com referência a regulamentação da profissão.
Em sétimo lugar, pressionar para que o CBTUR faça lobby para que o assunto regulamentação da profissão seja um dos temas desse encontro, pois projetos no senado existem, o que necessitamos é vontade política do trade e dos órgãos públicos federais.
Em oitavo lugar, pressionar para que a Embratur se manifeste sobre nossa regulamentação, anos atrás, a mesma se posicionou contra. Esse parecer existe e deve ser colocado ao conhecimento público.
Em nono lugar, utilizar o site "estudos turísticos" para escrevermos sobre esse assunto como brilhantemente fez Valéria Mônaco com seu artigo "Por que a regulamentação de bacharel em turismo não sai...”. Ou como sempre o faz em seus preciosos escritos, o também amigo de site Marcelo Veloso.
Em décimo lugar, integrar as ABBTUR'S na luta pela regulamentação, formando grupos para pensar formas de pressionar os políticos de suas regiões (Os Conselhos Municipais de Turismo, vereadores, deputados estaduais e federais, senadores e governadores) para que assumam como meta de seus compromissos com o povo a defesa de nossa regulamentação profissional.  
E, finalmente esclarecer aos turismólogos que esse governo tem uma história e tradição que se formou no campo da organização sindical devendo portanto, a nós bacharéis de turismo um apoio definitivo para que consigamos nossa tão sofrida regulamentação profissional.
A todas que lerem esse artigo, gostaria de receber sugestões para que juntos possamos ampliar nossa luta por nossos interesses profissionais. Por esse motivo deixo meu e-mail. Joaofilho@onda.com.br


Fonte: http://www.espacoacademico.com.br/037/37ejsf.htm

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Filme de promoção do Brasil tem 52 milhões de acessos na internet




O vídeo da nova campanha de promoção turística internacional da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) é um sucesso no canal YouTube. O filme Sons do Brasil, lançado em Joanesburgo (África do Sul), ao final da Copa do Mundo de 2010, ganhou destaque na capa do canal mundial de compartilhamento de vídeos na Europa, entre os dias 12 e 14 de julho. Em apenas seis países (Reino Unido, Espanha, Holanda, França, Itália e Alemanha), foi acessado por mais de 52 milhões de pessoas nesse período.
Alemanha e Reino Unido foram destaque, somando 27 milhões de visualizações. A campanha “O Brasil te chama. Celebre a vida aqui!” foi desenvolvida para convidar o mundo a visitar o País, aproveitando a exposição do Brasil como sede de grandes eventos esportivos mundiais na próxima década. 
O filme também alcançou uma taxa altíssima de retorno de clique da internet – o CTR, índice que mede o sucesso de uma campanha on-line. Nos Estados Unidos, onde o vídeo foi veiculado nas páginas internas do YouTube, por exemplo, foi 1.000% maior que a média de retornos de campanhas em todo mundo. Além disso, a Embratur conseguiu atrair mais de 500 mil pessoas para o canalwww.youtube.com/visitbrasil por meio da campanha.
Para o Google do Brasil, grupo do qual o YouTube faz parte, as iniciativas da Embratur em mídias digitais têm sido referência internacional. “A Embratur conseguiu impactar um número significativamente maior do que o normal. As iniciativas do Instituto, que tem usado todas as ferramentas do Google de forma criativa e eficaz, faz com que a gente receba solicitações de entidades ligadas ao turismo, algumas do exterior, que desejam conhecer melhor o case e seus resultados”, explicou o diretor de Turismo, Midia e Entretenimento do Google Brasil, Jorge Dib.
A presidente da Embratur, Jeanine Pires, comemorou o sucesso da iniciativa, resultado da aposta nas redes sociais como mais um instrumento de promoção internacional do Brasil. “Os resultados são muito bons. Aproveitamos a grande oportunidade do final da Copa do Mundo para lançar imediatamente a nossa nova campanha promocional na internet, quando houve um acréscimo de milhões de pessoas em todo o mundo buscando informações sobre a próxima sede da Copa do Mundo FIFA 2014, o Brasil”, comemorou Jeanine.
Além da exposição no YouTube, o vídeo “Sons do Brasil”, produzido pelo cineasta Fernando Meirelles e dirigido por Rodrigo Meirelles, está sendo veiculado nas TVs internacionais (esportes e notícias). São dez semanas de veiculação com cobertura em mais de cem países, atingindo cerca de 400 milhões de  pessoas em todo o mundo. A comunicação abrangerá as Américas, a Europa e países do Oriente Médio, África e Ásia.
Campanha “O Brasil te chama. Celebre a vida aqui!”       
O Ministério do Turismo, por meio da Embratur, lançou a campanha “O Brasil te chama. Celebre a vida aqui!” no último dia 9 de julho, em Joanesburgo (África do Sul). A campanha é composta por filmes, peças gráficas e ações em mídias sociais.  O objetivo é emocionar, impactar e motivar pessoas a realizar suas viagens, de lazer ou de negócios, no Brasil.
O investimento alcança US$ 30 milhões até o final de 2010 – em ações que envolvem publicidade em TVs, jornais, revistas e catálogos internacionais de operadores turísticos, ações de relações públicas com a imprensa internacional, mídia na internet e mídias sociais, painéis em aeroportos e outdoors em 15 países, publicações e material promocional sobre as 12 cidades-sede da Copa do Mundo FIFA de 2014, aplicativos para telefone celular e promoção em eventos turísticos em cerca de 30 países.
fonte> http://aquarela2020.wordpress.com

terça-feira, 17 de agosto de 2010

EUA: turistas vão passar a pagar imposto de 14 dólares

Os turistas estrangeiros que visitarem os EUA vão passar a pagar um imposto turístico de 14 dólares por pessoa, anunciou a US Travel Association.
O novo imposto entrará em vigor a partir do próximo dia 8 de Setembro, e será cobrado nas entradas durante dois anos.
A aplicação deste imposto faz parte da Travel Pormotion Act, assinada pelo presidente norte-americano, Barack Obama, no passado mês de Março, segundo a qual os EUA contarão com o seu primeiro programa de promoção turística, que será financiado por este imposto.

by paul
Fonte: http://www.tvi24.iol.pt

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Cresce no Brasil o turismo médico

Cresce no Brasil o turismo médico


O Brasil é referência em áreas médicas como cirurgia plástica, ortopedia e tratamentos odontológicos. Em três anos, mais de 180 mil pessoas vieram ao país para realizar tratamentos e cirurgias.

O Brasil atrai cada vez mais estrangeiros interessados num tipo muito específico de viagem: o turismo médico. Em três anos, mais de 180 mil pessoas vieram ao país para realizar tratamentos e cirurgias. O Brasil é considerado referencia em várias áreas da medicina como a de cirurgia plástica, ortopedia e tratamentos odontológicos. 

De acordo com um estudo internacional, o chamado turismo médico movimentou US$ 60 bilhões ao redor do mundo no ano passado. E médicos e hospitais brasileiros estão investindo para conseguir abocanhar uma fatia maior desse bolo. 

Fonte: GLOBO NEWS

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Curitiba - Worl Cup 2014

"Cidade Sorriso", "Capital Ecológica do Brasil", "Capital das Araucárias"

» área: 434,967 km²
» população: 1,7 milhão de hab.
» densidade: 4.202,83 hab/km²
» PIB: R$ 32.153.307 mil

Conhecida como cidade-modelo, é uma das capitais com melhor qualidade de vida do Brasil. Avenidas largas e arborizadas, parques e áreas de lazer, sistema viário pioneiro, já exportado para muitos países, distritos industriais planejados e bairros residenciais que privilegiam o bem viver revelam uma metrópole moderna e cosmopolita, com forte jeito europeu.
Alemães, italianos, poloneses e ucranianos, entre outros povos, souberam preservar o passado e mesclar os novos sotaques aos costumes antigos. Os parques são boa prova disso: além de servirem como espaço de lazer, reverenciam as diversas culturas étnicas dos colonizadores, com monumentos que homenageiam e recontam um pouco da história.

PROJETO ESTÁDIO - Arena da Baixada



Brasília

"Capital Federal", "Capital da Esperança", "BSB"

» área: 5.802 km²
» população: 2.606.885 hab.
» densidade: 423,3 hab/km²
» PIB: R$ 89.630.109 mil


Se uma capital federal pode explicar um país, o que dizer de uma capital projetada para tal? Brasília nasceu da decisão de um presidente visionário, Juscelino Kubitschek, e tem no traço inconfundível do arquiteto Oscar Niemeyer sua força, que só não é menor do que a imensidão de seu céu. O cerrado parece ter nascido para ser mesclado às linhas futuristas que marcam seus prédios inusitados. O cosmonauta Yuri Gagarin, 1º homem a viajar para o espaço, ao visitar Brasília em 1961, concordou: “Tenho a impressão de que estou desembarcando num planeta diferente, não na Terra.” A capital do Brasil instiga.
O movimento da cidade é ditado por gente de todas as partes do País, com costumes e sotaques variados. Fato que cai como uma luva à proposta de um lugar que deve ligar as diversas regiões do País e promover a integração nacional.
A vida cotidiana em Brasília inclui, no lazer, programas ao ar livre no Parque da Cidade e happy hours nos bares das Asas Sul e Norte – o projeto piloto tem o formato de uma aeronave, por isso o nome “asa” para as regiões ao sul e ao norte do Eixo Monumental. Local em que as obras de Niemeyer se encontram e preenchem os olhos. A Praça dos Três Poderes, que abriga o Congresso Nacional, principal imagem do álbum da cidade, a Esplanada dos Ministérios, a Catedral, o Memorial JK... Fotografias gravadas na memória daqueles que pisam o solo da capital brasileira.

Brasília - Copa 2014

Projeto do estádio Mané Garrincha

 

 


Viaje Guia das Sedes

Porto Alegre

"A Capital dos Gaúchos", "Muito Leal e Valorosa"

» área: 496,827 km²
» população: 1.436.123 hab.
» densidade: 2878,7 hab/km²
» PIB: R$ 27.977.351 mil

Às margens de um lago – o Guaíba, com 72 km de orla fluvial –, a capital dos gaúchos oferece muitos parques urbanos e vida cultural efervescente. Teatros, espaços de arte, museus, prédios históricos garantem uma programação cultural intensa. Bares e danceterias convidam para uma noite animada e divertida.
A cidade se destaca no turismo de negócios, e dispõe de grandes centros de convenções e boa estrutura hoteleira. Tem grande importância para o Mercosul – fica entre Buenos Aires/Montevidéu e São Paulo/Rio.
No seu nobre bairro Moinhos de Vento, pode-se passear, fazer compras na Padre Chagas (versão gaúcha da Rua Oscar Freire em São Paulo) e tomar um expresso nos inúmeros cafés da região.

Estádio José Pinheiro Borda - Beira-Rio

O projeto do Novo Beira-Rio

 


World Cup 2014 - Brasillllll

O Brasil e a Copa do Mundo 2014: A viagem começa aqui:

http://www.copa2014.turismo.gov.br/copa/home.html

Seminário Copa 2014

Inscrições atraves do site: www.projeto2014.com
Centro de Convenções de Curitiba
Rua Barão do Rio Branco, 370- Centro
Curitiba-Pr
(41) 3322-8955 
(41) 3322-8955

TURISMÓLOGO TEM:

Turismólogo, que bixo é esse?

O projeto "turismólogo: que bicho é esse?", surgiu da necessidade de se criar uma identidade séria da profissão de bacharel em turismo, coerente com a realidade que a categoria vive hoje no Brasil. Apesar do curso de turismo existir desde 1971, os profissionais que se formam nele não tem o devido reconhecimento, nem tão pouco existe uma lei que regulamenta a profissão.
No decorrer do presente trabalho procurou-se debater questões como a qualificação dos profissionais da área, papel do bacharel em turismo, regulamentação da profissão, importância do turismo, ética profissional, entre outras. Acreditamos que tais assuntos que devem ser amplamente discutidos tanto por profissionais da área quanto pela sociedade em geral e o presente projeto não tem a pretensão de "esgotá-los" e sim de iniciar um debate a fim de estudar os pontos fracos e fortes referentes ao turismólogo hoje.
Para isso foram elaborados pesquisas com alunos do primeiro e último ano do curso de turismo da Universidade Metodista de São Paulo (UMESP) e da Universidade São Francisco (USF) de Bragança Paulista. Também foi realizada uma pesquisa com o público leigo para se ter noção do grau de conhecimento da sociedade sobre a profissão. Junto a isso, foi realizada uma extensa pesquisa bibliográfica, para se ter bases concretas para a realização de um projeto piloto de divulgação e consultoria, a fim de se trabalhar nos pontos fortes e fracos identificados.
O projeto "turismólogo: que bicho é esse?", encontra-se dividido em cinco capítulos através dos quais, se buscou passar noções sobre os assuntos abordados de maneira simples e didática, sem, contudo comprometer a seriedade do trabalho.
No capítulo 1 procurou-se mostrar os conceitos básicos sobre turismo e suas definições, assim como a importância do setor para a economia. O capítulo ajuda o leitor a compreender o quanto o turismo está interligado com as diversas áreas do conhecimento humano.
O capítulo 2 aborda questões sobre o curso e o bacharel em turismo, com um breve resumo dos acontecimentos pelo qual a profissão passou nos últimos anos.
A questão da regulamentação da profissão é discutida no capítulo 3, no qual se procurou passar a idéia de que uma lei que regulamenta uma profissão não é eficiente se antes não houver uma posição definida dos profissionais que atuam nessa área.
O capitulo 4 é destinado a análise das pesquisas com os alunos do primeiro e do último ano, com alunos das Universidades Metodista de São Paulo e da Universidade São Francisco de Bragança. Também analisamos a opinião que o público leigo tem sobre a profissão de bacharel em turismo no Brasil.
O último capítulo tem como objetivo apresentar uma estrutura básica das palestras que se pretende ministrar, levando em consideração que se trata de um projeto piloto, direcionado a três diferentes segmentos: público leigo; estudantes de turismo e profissionais da área e pequenas empresas do setor turístico.
Turismólogo, que bicho é esse? publicado por thiago alves em http://www.webartigos.com